Audácia de António Carvalho premiada com vitória em Setúbal

António Carvalho (Efapel) venceu hoje a sétima etapa da Volta a Portugal Edição Especial Jogos Santa Casa, uma ligação de 161 quilómetros, entre Loures e Setúbal, na qual Amaro Antunes (W52-FC Porto) manteve o primeiro lugar da geral.

A vitória do homem da Efapel nasceu da audácia de atacar na serra da Arrábida, cujo prémio de montanha de segunda categoria estava colocado a menos de 14 quilómetros da chegada. Quando se esperava que os homens mais próximos de Amaro Antunes na geral tentassem mexer com a corrida, foram António Carvalho e Luís Fernandes (Rádio Popular-Boavista) os únicos a arriscar.

Os dois corredores fizeram toda a subida da Arrábida na dianteira, desceram ainda na frente e resistiram à perseguição movida pela W52-FC Porto no grupo dos favoritos. A luta pelo triunfo foi entre os mais corajosos da fase decisiva da tirada. Luís Fernandes arrancou primeiro, mas António Carvalho saiu no momento exato para conquistar a segunda vitória de etapa para a Efapel, com Fernandes a ficar na posição imediata.

“Vínhamos com o intuito de ganhar a etapa. Somos uma equipa de ataque. Eu era a aposta para hoje, mas à entrada da montanha, quando avariei, temi que tivesse deitado tudo a perder. Felizmente, acabei por vencer e dedico esta a vitória à minha família, a toda a equipa e àquele que foi o meu colega de quarto, Luís Mendonça”, disse um emocionado António Carvalho, após o triunfo.

Outro dos grandes protagonistas do dia, Luís Gomes (Kelly-Simoldes-UDO) fechou o pódio da jornada. Depois de ter participado na principal fuga do dia, ganhando duas metas volantes e dez pontos para a classificação da regularidade, o gaiense foi terceiro em Setúbal, somando mais 28 pontos e garantindo a conquista da Camisola Vermelha Cofidis, da regularidade.

Sem que a Camisola Amarela Jogos Santa Casa fosse verdadeiramente atacada, a tirada valeu mesmo pela ação de António Carvalho e Luís Fernandes e pela fuga de oito elementos, na qual Luís Gomes foi o mais beneficiado. A escapada deu-se ao quilómetro 25, juntando Ángel Madrazo (Burgos-BH), Jon Irisarri (Caja Rural-Seguros RGA), Gavin Mannion (Rally Cycling), Anthony Delaplace (Team Arkéa-Samsic), Óscar Pelegrí (Feirense), Luís Gomes (Kelly-Simoldes-UDO), Marvin Scheulen (LA Alumínios-LA Sport) e Joaquim Silva (Miranda-Mortágua) em cabeça de corrida.

Luís Gomes manteve-se adiantado até vencer as duas primeiras metas volantes, esperando depois pelo pelotão, com o intuito de pontuar na chegada a Setúbal, objetivo plenamente conseguido. Ángel Madrazo e Jon Irisarri foram os últimos a ser alcançados, a 24 quilómetros do fim.

Esperava-se ataques dos candidatos na Arrábida, mas tal não sucedeu. Amaro Antunes vai, assim, para o contrarrelógio que amanhã encerra a competição, em Lisboa, com 13 segundos de vantagem sobre Frederico Figueiredo (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) e com 1m13s de margem para o colega de equipa Gustavo César Veloso.

“Não há palavras para esta equipa, até me arrepio ao falar dos meus colegas, incansáveis durante toda a prova. É de louvar o grande trabalho do detentor do título da Volta despir a camisola por mim. É uma atitude de grande campeão, mas não esqueço o resto da equipa. Agora tenho de retribuir o trabalho que fizeram por mim. Sinto-me bem e confiante. Vai ser um contrarrelógio em que será necessário dar tudo do início ao fim. O Gustavo César Veloso também terá uma palavra a dizer, mas o importante é que a camisola fique na equipa”, admitiu Amaro Antunes.

A Volta vai, assim, decidir-se nos 17,7 quilómetros de exercício individual, a percorrer entre a Ribeira das Naus e a Praça do Comércio, nesta segunda-feira.

CLASSIFICAÇÕES COMPLETAS